Direitos e Deveres
O ingresso de candidatos no quadro de fraternistas será efetivado após o preenchimento da ficha de cadastro, devidamente analisada e aprovada pelo CAD/Grupo Scheilla. Na admissão não será considerada qualquer distinção de cor, sexo, idade, raça, religião ou preferência poltico-partidária. O candidato esforçar-se-á por promover a sua reforma íntima, conhecer e procurar vivenciar a Doutrina Espírita, colaborando ainda para que o Grupo Scheilla atinja os objetivos consignados em seu estatuto social, cujo exemplar ser-lhe-á entregue gratuitamente. O fraternista contribuirá com o seu trabalho, presença e recursos disponíveis, segundo a sua capacidade e livre vontade, constituindo dever fraterno frequentar as reuniões públicas e participar das tarefas do Grupo Scheilla.
Não haverá categorias diferenciadas de fraternistas no Grupo Scheilla, sejam eles cooperadores pecuniários ou não, devendo cada um distinguir-se tão somente pela sua cota de trabalho no bem.
O Grupo Scheilla poderá receber contribuições de terceiros, não fraternistas, a título de DOAÇÃO, sem nenhuma contrapartida ao doador, a não será o recibo respectivo e o sentimento de gratido do Grupo.
Não haverá remuneração, nem concessão de vantagens ou benefícios, por qualquer forma ou título, aos membros dirigentes coordenadores, conselheiros, sócios, benfeitores ou equivalentes, bem como, sob nenhuma forma ou pretexto, não haverá por parte do Grupo Scheilla, distribuição de resultados, dividendos, bonificações, participações ou parcela do seu patrimônio.
Será assegurado ao fraternista, participar das atividades previstas nos artigos 19 a 26 do Estatuto, cabendo-lhes ainda, o direito de voz e voto nas Assembléias Gerais de Fraternistas do Grupo Scheilla. Este direito será exercido somente pelo fraternista que estiver filiado, cadastrado e em atividades no Grupo Scheilla, em período imediatamente anterior ao evento, no inferior a um ano.
Perderá a condição de voz e voto o fraternista que:
  1. renegar a convicção espírita;
  2. deixar de prestar, cumulativamente, o seu trabalho, a sua participação ou outra contribuição a que se propôs, sem motivo justificado;
  3. Mudar-se do municpio - sede do Grupo Scheilla, desde que impossibilitado de continuar frequentando-o.
A exclusão do quadro social de fraternistas, em decorrência destes motivos, efetivar-se-á por delibera o formal do Conselho de Administração, sendo garantido ao interessado amplo direito de defesa, inclusive o de recurso ao Conselho de Representação da Assembléia.
O Grupo Scheilla adotará os procedimentos julgados necessários para o controle dos fraternistas filiados.